ERC analisa censura em Crystal

Temas: em Portugal, Sailor Moon Crystal por @Star_Uranus4 Comments

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social, ERC, está a analisar as queixas efectuadas pelos telespectadores contra o Biggs, devido aos cortes em Sailor Moon Crystal.

Neptune & Uranus

As reclamações “encontram-se em apreciação pelos serviços da ERC, não tendo sido por isso ainda produzida qualquer Deliberação”, avançou ao SMpt a Assessora de Comunicação e Relações Exteriores daquela entidade que regula e supervisiona os órgãos de comunicação social nacionais.

Sem especificar o número de queixas recebidas, a mesma responsável adiantou que “o total das participações recepcionadas será tornado público, logo que se emita a referida Deliberação”.

O SMpt tentou obter um comentário do Biggs sobre este assunto, mas até à publicação deste artigo [22 de Março], o canal não respondeu.

Actualização: Contactada pelo SMpt para comentar o assunto, fonte da Dreamia, empresa proprietária do Biggs, afirmou que “de momento, não temos nenhuma informação adicional”. [actualizado a 23 de Março]

Recorda-te que o Biggs foi duramente criticado pelos telespectadores de Sailor Moon Crystal depois de, em Dezembro, ter censurado várias cenas e, entretanto, retirado a série do ar, a cinco episódios do final. A situação mereceu também a atenção da Rede Ex Aequo, associação de jovens LGBTI, que condenou o que considera ser um “acto de discriminação”, juntando-se, por isso, ao coro de críticos do Biggs que apresentou queixas formais junto da ERC.

Na altura, os responsáveis pelo canal infanto-juvenil da Dreamia afirmaram ao SMpt que os cortes em Crystal ocorreram “por mera opção editorial”, refutando as acusações de “censura” e “homofobia”.

Sailor Moon Crystal foi para o ar, pela última vez a 11 de Dezembro do ano passado. Desde então, a série não voltou a ser transmitida e o canal afirma não ter informação sobre o seu regresso. Por exibir ficaram os cinco últimos episódios da terceira temporada.

Outros casos

Esta não é a primeira vez que a ERC é chamada a inquirir o Biggs. Em 2011, uma telespectadora queixou-se de “cenas implícitas de sexo e homossexualidade” num videoclip exibido pelo canal. A ERC não deu “seguimento à queixa, por considerar que o Panda Biggs não ultrapassou, no caso analisado, os limites à liberdade de programação”.

No ano seguinte, uma queixa dava conta de um palavrão utilizado na dobragem de um desenho animado transmitido no Biggs. A estação de TV reconheceu e lamentou a situação, tendo-se comprometido a pedir nova dobragem do episódio em questão.

Por outro lado, em 2014, a ERC recebeu reclamações sobre um programa humorístico, estilo “apanhados” exibido pelo Biggs, mas também em relação a alegadas “cenas inadequadas e obscenas” na telenovela “Morangos com Açúcar”. A ERC deliberou sensibilizar o canal a “adequar os conteúdos exibidos à faixa etária a que se destina”.

Comments

  1. Maria

    depois ler sobre as queixas que eles já receberam ao longo dos anos, quase que percebo porque é que decidiram fazer estes cortes de prevenção. embora continue a achar errado terem cortado o que quer que seja.